Que abram as portas do armário

É a primeira vez que eu falo abertamente sobre a minha sexualidade, e esse texto é só mais um texto que circula a internet tentando clarear a ideia das pessoas que julgam o fato de ser gay errado.

Queria dizer que é extremamente difícil escrever sobre isso, mesmo eu que sempre escrevi sobre tudo. Tem algumas cicatrizes que ainda doem (apesar de fechadas).

Esse texto tem o intuito de transmitir informação para os pré conceitos que alguns têm.

Vamos começar esclarecendo a ideia de que nós, gays, não escolhemos ser gays. A regra é básica, você, hétero, em qual parte da sua vida você decidiu ser hétero? (tempo para pensar). Resposta: Você não decidiu nada! Você simplesmente é e ponto. Nós também não escolhemos ser gay. (mas se tivesse a opção, eu escolheria)

Ok, vamos para o próximo questionamento, o qual eu ouvi muito, principalmente dos mais tradicionais: “O homem e a mulher foram criados para procriar, você, como homessexual não pode procriar”. Of course, não podemos, mas a gente vem ajudando muitos casais heterossexuais que abandonaram seus filhos em orfanados, nós estamos adotando essas crianças e dando amor, educação e carinho. (coisa que um casal hétero não deu). E convenhamos, a ciência evoluiu e agora a gente tem vários jeitinhos de termos filhos, gerados! Aceita sociedade! Ah, e nem por isso meu filho vai ser gay, afinal, ele pode ser o que quiser.

Mas o homessuxalismo…. pera pera,  Para tudo! O sufixo ismo é indicado como doença, então não, a HOMESSEXUALIDADE não é uma doença, você não precisa de remédio nem de hormônios a mais no seu corpo, porque você não está doente!

Observação útil no meio de tanta informação: Você sabia que no vocabulário americano a palavra “gay’ significa “pessoa feliz e alegre”? (E apesar de tanta violência e tanta descriminação, ainda somos considerados uma comunidade alegre e feliz, talvez você se orgulhe disso).

Bom, para quem ainda não sabe, tivemos muitos ativistas lutando pela nossa causa muito antes de você nascer. Tivemos Harney Milk, o primeiro homem gay a ocupar um cargo público importante na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos, tivemos também Barbara Jordan, primeira negra do Sul dos Estados Unidos a ser eleita para a Câmara de Representantes, entre outros ativistas que lutaram e deixaram seu legado na história da nossa causa.

No Brasil tivemos muitos ícones gays na música, na literatura e na dramaturgia, pessoas que também lutaram contra a censura, para que você, hoje, tivesse mais segurança e mais tranquilidade de andar na rua de mãos dadas com seu parceiro.

Devemos destacar também que não é assim que acontece ao redor do mundo, 76 países proíbem seus cidadãos de serem homessexuais, e em 6 deles você pode ser condenado a morte… por amar.

Então esse texto é um misto de informação para você gay, se orgulhar do que você é, porque ser gay não transforma seu caráter, não transforma sua essência. Houveram pessoas que lutaram pelos direitos (ainda que sejam poucos) que você têm hoje. Honre!

Photos-From-The-70s-Gay-Rights-Protests-capa-800x350

É tão triste ver alguém se afastando da família, se escondendo atrás de uma máscara, vivendo uma vida paralela, com medo, com vergonha, só por ser quem realmente é. É tão triste ver uma criança se bloqueando das suas espontaneidades porque alguém disse a ela que “brincar de boneca é coisa de menina”, é triste ver jovens se suicidando porque não foram compreendidos e amados. É triste. Mas a luta continua, porque as cores do arco íris precisam ser vistas.

E porque esse texto não diz respeito somente à você, LGBT, diz respeito aos seus pais, à sua família, aos seus colegas do trabalho, aos seus vizinhos, porque independentemente de orientação sexual, todos nós contemos os mesmos elementos na nossa formação, somos acima de tudo, seres humanos. E devemos sim acolher, proteger e respeitar as diferenças, afinal, nada mais lindo do que viver a diversidade que o universo nos ofereceu.

[Esse texto também é um agradecimento enorme aos amigos que me acolheram em tempos conturbados, à parte da minha família que me compreendeu mesmo quando tudo não fazia sentido, e a minha mãe que aprendeu a me respeitar e nunca deixou de me amar. O mundo devia aprender com você mãe, obrigada por me acolher e me compreender, isso é importante demais para mim]

Anúncios

A difícil missão de ser um ariano

Sol, lua e ascendente em Áries. Esse sou eu. Você pode até não acreditar em signos, astros etc., mas que é legal admirar as belas coincidências, isso é. O terror de alguns e o paraíso de outros, o ariano é, por natureza, quente e fervoroso. Nesse relato, conto como eu sou e o comportamento geral de um ariano. Acreditando ou não, leia. É divertido rir da minha cara de besta.

O elemento de Áries é fogo. O ariano é intenso, verdadeiro, honesto, mas é teimoso, turrão, geralmente só ouve a ele mesmo e, no fundo, finge ser leão, mas é um belo cordeirinho. Como fogo, o ariano explode, incendeia, tem um acesso de fúria incontrolável que dura eternos… 30 segundos. Depois disso, a raiva passa, o mar vira calmaria e é como se nada tivesse acontecido. Ele até pode remoer aquele sentimento por alguns dias, mas logo ele supera e deixa pra lá.

Eles são bons de coração, viu? Apesar que, no ápice de sua revolta, o ariano pode ser bem vingativo. O grau da vingança ou a existência dela varia conforme a evolução espiritual do ser em si. No meu caso, já não perco mais tempo com isso.

Eu e todo bom ariano morremos de amor. Sempre. Diferente do leão raivoso, o ariano apaixonado é como um cachorro: fiel, apaixonado, intenso e capaz de tirar a roupa do corpo para dar ao seu amor. Ele defende com unhas e dentes aquilo que acredita, quem ama e é capaz de comprar uma briga com Deus e o mundo pela paixão. Mas olha, da mesma maneira em que se dedica, o ariano também cobra. Ele é ciumento sim, ele cobra atenção e presença sim, e geralmente ele também é bem inseguro. O ariano nunca confia plenamente no seu taco quando o assunto é amor.

Outro bônus de se apaixonar por um ariano é a cama. Não, não só dormir. O ariano é uma máquina de desejo e sexo. É igual aquele touchscreen de última geração: tocou, tá funcionando. Insaciável, eu diria. Talvez perca só pra escorpião. Aliás, arianos e escorpianos geralmente só se dão bem na cama. De resto é uma tormenta só.

Fazer um ariano se apaixonar por você é muito fácil: dê atenção mas nem tanto, inclua o ariano na sua rotina, deixe ele achar que está no controle, que está te ajudando na sua vida… O ariano gosta de fazer o parceiro crescer e prosperar. E, para isso, ele é capaz de virar sua vida de cabeça para baixo.

Como excelentes comunicadores, o ariano vai se dar bem com sua família, com seus amigos, com seus bichos de estimação, com seus vizinhos… Honestamente, é fácil amar os arianos, já que eles são pouco convencidos. Ha ha 😛

aries

No campo profissional, o ariano é um excelente comunicador. Se dá bem em posições comerciais, de liderança ou que exijam criatividade. Manter um ariano na rotina é pedir para matá-lo pouco a pouco. Ele  não se acostuma com isso.

Em geral, arianos são detalhistas, observadores e cuidadosos… Até demais. Eles prestam atenção em tudo, em cada detalhe e, por serem muito criativos, vão pensar em 1200 possibilidades. Para o bem ou para o mal. Por isso, seja sempre o mais claro e objetivo possível com arianos. Nós detestamos rodeios. Gostamos mesmo é da verdade, por mais dura que seja.

Não espere que um legítimo ariano vá passar a mão na sua cabeça, eles são excelentes conselheiros por causa disso. Conseguem enxergar sua vida com a frieza e a distância necessária para lhe dar belíssimos conselhos. Se envolvem muito emocionalmente também, feito crianças choronas, mas são, em geral, excelentes conselheiros.

E o que temos de bom em dar conselhos, temos de ruim em tomar nossas próprias decisões. Arianos são, em geral, muito indecisos quando o assunto envolve a própria vida deles. Se você é amigo de um, tenha paciência. No fundo existe um bom coração pronto para lhe ajudar.

Alguns arianos também adoram se fazer de vítima. Puro teatro e cedo ou tarde você vai perceber isso. Coisa pra exercitar o charme. Entre na onda, dê um pouquinho de carinho e atenção e… Você acaba de arrebatar um coração… Se você for bonito.

É fato, arianos tem um apreço exagerado pela estética, pela beleza e pelo físico. Depois, é claro, preferem sempre a personalidade, mas o que vai chamar a atenção do gato de áries na balada é o corpitcho do paquera. No meu caso, o sorriso e a composição da face é que me agradam mais.

No resumo da ópera, não é nem o melhor nem o pior. Os arianos são únicos, são fofinhos e exageradamente simpáticos. Sorte sua se apaixonar por um, pois dificilmente ele fará algo para te magoar, mesmo que ele não retribua. Agora, se ele se apaixonar por você… Aí é sorte grande. Aproveite, pois dificilmente você encontrará alguém mais apaixonado.

Leonardo Lino

Leonardo Lino 24 anos, publicitário, trabalha com Marketing Imobiliário e é um apaixonado por economia, política e filosofia. É um inimigo declarado do estado. Um monarquista pragmático. Tem como inspiração Ayn Rand e Ludwig von Mises. Gosta de falar abobrinhas, bobagens e jamais vai te levar a sério. Está aprendendo a escrever, desculpem os maus modos.

A pedra no meio do caminho

“Mas vocês vão prender crianças?
– Não. Vamos prender infratores. A inocência e a pureza da criança foram deixadas para trás no momento em que um crime foi cometido”. 

Estamos vivendo tempos de transformação em nossa sociedade. Tempos obscuros, eu diria. De reformas, de conceitos, de conservadorismo, de socialismo, de polarizações radicais e sedentas pela morte da outra parte. É uma batalha que parece estar bem longe do fim. Um caminho e um rumo de sociedade bem longe do ideal.

E no meio do caminho temos uma pedra. Reduzir ou não a maioridade penal? Se você diz que sim, você é coxinha, reacionário, fascista, dazelite-branca-paulistana, opressor, neo-ultra-liberal, neoconservador (?). Se você diz que não, você é petralha, protetor de bandido, leva-pra-casa, esquerdinha de merda, tá-com-dó-porque-nunca-aconteceu-com-você. 

Transformaram isso na batalha do século, para tirar a nossa atenção do que realmente importa: as mudanças políticas que precisamos fazer urgentemente em nosso país. Mas já que aqui estamos, vamos falar sobre a maioridade penal.

Mãos para o alto, novinha.

Mãos para o alto, novinha.

O fato primordial que devemos nos atentar ao falarmos de justiça no Brasil é que: ELA NÃO FUNCIONA. Não adianta. Juristas, advogados, promotores, policiais e toda a Santa Sé reunidas são incapazes de me convencer do contrário. Temos um judiciário todo aparelhado, precário, obsoleto. O código penal é fraco, feito para privilegiar bandidos. E não venha com o papo de que ele é um dos mais avançados do mundo pois não vou ouvir. Ele é avançado se você é um advogado criminalista. Nesse caso ele realmente te poupa um bom trabalho.

Então a principal reforma deveria ser no Código Penal. Na verdade, não proponho uma reforma. Proponho uma reescrita completa e irrestrita dele. Mas, só pra lembrar, estamos no Brasil… O país que deixou de pagar 20% de impostos como colônia para pagar 50% como república. Aqui as coisas não fazem sentido.

Dito isso, como defender a redução da maioridade penal? É simples e para entender bastam alguns passos:

  1. A redução da maioridade penal para 16 anos não é a solução definitiva de violência endêmica no Brasil. Ela nem se propõe a isso. É apenas parte de uma série de medidas que devem ser tomadas. É um começo.
  2. O argumento de que um adolescente de 16 anos é uma criança é completamente inválido. Com 16 anos o jovem já é capaz de discernir plenamente entre o certo e o errado. Os valores éticos já foram absorvidos. Eles sabem que matar, roubar e estuprar é errado. Não é uma vítima da sociedade, é uma vítima das próprias escolhas.
  3. Não vamos prender crianças e acabar com a infância. Nenhum argumento é mais preconceituoso que esse. Em nenhum momento ser criança é condição sine qua non para ser bandido. Vamos prender infratores, pessoas violentas que precisam estar longe da sociedade.

A maioria dos países que consideramos desenvolvidos já fizeram isso há muito tempo. Ao todo, 54 países já adotaram a medida.

Muito além da cadeia, o “menor” infrator precisa entender que seus atos não passam impunes. As medidas socioeducativas do Estatuto da Criança e do Adolescente são tão brandas, que, ao tirar uma vida, o adolescente passa 45 dias em reabilitação, aguarda julgamento em liberdade, e depois corre o sério risco de ficar 3 anos preso. Três anos por tirar uma vida, por matar um pai de família para roubar um celular, um relógio… É justo para você?

A partir dos 16 anos, o jovem vota se quiser, seu testemunho é aceito em juízo e pode ser emancipado, inclusive sem consentimento dos pais, se tiver economia própria. O Direito brasileiro reconhece, assim, que a partir dos 16 anos o adolescente tem condições de assumir a responsabilidade pelos seus atos. – Senador Aloysio Nunes

Dadas as circunstâncias, entendam que não sou utópico de acreditar que esta medida, por si só, vai acabar com a violência no Brasil. Precisamos ir muito além.

Este é apenas um pequeno passo na longa caminhada rumo à paz.

Leonardo Lino

Leonardo Lino 24 anos, publicitário, trabalha com Marketing Imobiliário e é um apaixonado por economia, política e filosofia. É um inimigo declarado do estado. Um monarquista pragmático. Tem como inspiração Ayn Rand e Ludwig von Mises. Gosta de falar abobrinhas, bobagens e jamais vai te levar a sério. Está aprendendo a escrever, desculpem os maus modos.

A Summer, de 500 Days Of Summer, estava certa

Se você já assistiu a esse filme e ficou morrendo de raiva da Summer por trazer tanto sofrimento ao Tom, está na hora de rever seus conceitos e começar a agradecer muito por tudo que ela fez.

500 dias com ela, filme intitulado nacionalmente, é um longa que exibe o amor como ele é, sem facetas, sem finais felizes e estampa na nossa cara que nem tudo que chamamos de felicidade é o que planejamos.

Sou totalmente a favor de tudo que a Summer foi para o Tom, e, ao contrário de muita gente que acha ela fria e sem coração, eu escrevo aqui meus argumentos de defesa. Espero convencer vocês de que ela, com toda sua experiência, estava certa.

É de se admirar qualquer pessoa que, quando começa a se envolver, escancara todas suas verdades. Falar que não acredita no amor, ou que o amor não é tudo, foi uma das atitudes mais impressionantes que ela teve durante o filme, tirando totalmente as esperanças de que algo poderia dar certo entre o Tom e a Summer. Ela começou falando a verdade e isso é nobre.

Pode parecer que não, mas a ilusão de algo que você quer muito te faz pensar em planos para o futuro sem nem perceber se o presente está certo. Tom foi intenso e aprendeu a ser equilibrado com suas emoções, tudo porque Summer deu a ele bons momentos, que para ela era natural, e para ele excepcional. Tom percebeu que ter o equilíbrio sentimental era necessário para continuar a vida, até mesmo sem ela.

500 Days of Summer wallpaper

Tom soube ganhar, mas foi Summer quem ensinou ele a perder, o que fez dele alguém que enxergue a vida com novos recomeços.

Summer estava certa porque amou Tom no seu tempo e entregou a ele tudo que estava ao seu alcance. Mas os amores passam e as verdades não param no tempo, elas viram memórias. Summer foi fundamental para a compreensão do amor na cabeça de Tom. Ele precisou passar pela dor e pela felicidade plena e, então, quando seu coração estivesse tranquilo, ele iria abrir um novo ciclo.

Dessa vez, mais preparado.

*Meus agradecimentos a Summer, por me dar assas, e, depois, me deixar voar para qualquer céu.

Jamile Ferraz

Jamile Ferraz Jornalista, mas gosta mesmo é de romance barato. Virginiana com vida profissional, mas nunca conseguiu tomar um rumo na vida pessoal. Acredita em destino, mas nem tanto. Apaixonada por livros, cinema e a música é como combustível. Um dia vocês vão ouvir falar de mim.

Olá, mundo!

Esta é a primeira publicação de um projeto enorme com muita gente brilhante envolvida.

Não é novidade que informação é algo que todo mundo tem que ter, principalmente os jovens, que estão começando a formar opinião e expressa-las com mais frequência, mas para botar toda opinião própria para fora é preciso conhecimento, mais que isso, experiência.

O Blog Um eu sem você vai discutir e transmitir muita experiência quando o assunto é a falta de alguém, como é que é lidar com a perda de tanta coisa que nos faz bem, será que é possível sobreviver em meio a tanta dor? Acredite meu caro, eu ainda estou aqui.

Nós, os escritores desse aglomerado lugar de conteúdos, vamos expressar toda nossa formação de experiência com vocês. Teremos alguém que já sofreu muito por amor, já foi muito feliz pela mesma doença e hoje, escreve aqui. Tem gente que adquiriu tanta experiência com a vida que quer compartilhar isso com o mundo todo, e tem gente que vai distribuir conhecimento através de temas jamais comentados em um blog para o público jovem: POLÍTICA E ECONOMIA.

Estejam preparados, aqui, a verdade é estampada na cara.