Sinta-se vivo

Respirar não é suficiente para sentir-se vivo. É preciso muito mais que isso: ambições, sonhos, paixões, amores, lugares a se visitar, pessoas encantadoras, músicas que dizem por você, filmes que te levam para onde queria estar – ou que te mostram a realidade, nua e crua. Alguém pode se sentir vivo por ter o trabalho dos sonhos. Acordar às 6 da manhã todo dia e, mesmo assim, se sentir vivo por fazê-lo. Uma mulher pode se sentir viva pelo simples fato de ter dado vida a uma nova criatura.

Eu? Eu preciso de múltiplas razões para me sentir viva. Mas, de todas elas, eu preciso do encantamento, da paixão. Do amor que nunca vira bom dia. Das declarações diárias. Do cotidiano marcado pelas surpresas de uma mensagem espontânea. Da vontade de se encontrar no meio de uma tarde de segunda-feira.

Preciso da contradição de me sentir viva ao perder o ar entre beijos intermináveis e incontroláveis. Do prazer de dividir o mesmo colchão de solteiro e misturar o som da tua risada com a minha entre gargalhadas e conversas sérias. Busco pela ânsia de nunca me cansar de conhecer o outro e, mesmo vendo os defeitos, ainda sim querer estar junto logo após a despedida.

A minha vivacidade está na cumplicidade de dividir as alegrias, tristezas e chateações – sejam elas quais forem. Quer prazer mais vivo do que se sentir à vontade, como se conhecesse alguém a mais tempo do que de fato se conhece?

tumblr_ll93ckh60z1qdqy85o1_500_large

Uns sonham em ter grandes empregos, fazer grandes viagens, ter grandes conquistas e construir grandes famílias. Meu sonho inclui tudo isso: quero sim conhecer o mundo, quero ter um emprego que me permita fazê-lo e manter uma família. Mas isso, pra mim, só tem sentido se tiver, do meu lado, um amor. O amor da minha vida. Que acorde do meu lado todo dia e que, ao fazer isso, me lembre instantaneamente do porque estou aqui.

Isso, pra mim, é sentir-me viva. Ter alguém do meu lado para todas as horas. Que me desperte todos os melhores sentimentos e aspirações. Que, mesmo aos 90 anos, me faça sentir as borboletas no estômago como uma adolescente durante sua primeira paixão. Que me deixe com saudades em menos de um dia longe.

Amor, pra mim, é vida. E nada, nem ninguém, no mundo inteiro, há de mudar isso*.

*Muitos tentaram, mas não vão me derrubar do meu mundo de amor. E obrigada a você, que está aqui hoje e me lembrou do que realmente sou por dentro. E desejo a vocês que ninguém no mundo possa te desvirtuar do caminho do amor recíproco, leve e pacífico. Porque amor é paz, se for diferente disso… É qualquer coisa, menos amor.

Carla Oliveira

Carla Oliveira Jornalista por formação, apaixonada pelos encantamentos diários por destino. Há 23 anos tenta escapar dos sentimentos, mas sem eles fica sem sentido. O cheiro que mais gosta é aquele teu que gruda na pele dela. Ah: canceriana, intensa, extremista e chata.
Anúncios

Mas se quer saber se quero outra vida…

Era hora de voltar para casa depois de um filme decepcionante. O final dele não era feliz e a gente sempre espera, com grandes expectativas, que o mocinho vá ficar com a mocinha. Não nesta noite.

Entrei no carro, liguei o som e a primeira música que inundou meus ouvidos foi Eu Te Devoro, do Djavan. Fazia séculos que ela estava na minha playlist mas eu nunca deixava ela tocar, ontem eu deixei.

Teus sinais
Me confundem da cabeça aos pés
Mas por dentro eu te devoro
Teu olhar
Não me diz exato quem tu és
Mesmo assim eu te devoro
Te devoraria a qualquer preço
Porque te ignoro ou te conheço
Quando chove ou quando faz frio

As ruas ficaram largas e eu me permiti ter uns segundos de desatenção no trânsito para pensar o que eu estava fazendo com a minha vida. Caçando olhares perdidos para preencher o meu, saindo sem direção alguma procurando algo que me abastecesse. Algo que me mostrasse o caminho certo, ou o caminho que te atingisse em cheio.

solidaomenina

Por quantas bocas a minha boca passou para entender que meu coração precisa caminhar sozinho? E então a música voltou a fazer um pouco mais de sentido.

Tudo o que Deus criou
Pensando em você
Fez a via-láctea
Fez os dinossauros
Sem pensar em nada
Fez a minha vida
E te deu

Eu entendo quando o Djavan entona a música nessa parte, “fez a minha vida e te deu”, como se eu não tivesse escolha, como se fosse um presente sem devoluções. Essa é a minha vida sendo sua e eu a observo de longe querendo que Deus também me desse a sua.

Então me vejo reaprendendo tudo, reaprendendo a caminhar só e a reconquistar um mundo que, agora, só pertence a mim.

Sem contar os dias
Que me faz morrer sem saber de ti
Jogado à solidão
Mas se quer saber
Se eu quero outra vida
Não, não

Quando a música chegou nessa parte, parei o carro e tentei de todas as formas discordar do cantor, afinal, eu quero outra vida. Não essa cheia de solidão, cheia do vazio de saber que nela não tem você. Então, se quer saber se quero outra vida? Sim, eu quero.

Mas a música não tinha terminado e o último estrofe calou meus pensamentos contraditórios. Vi que não dava para discordar mais de nada.

Eu quero mesmo é viver
Pra esperar, esperar
Devorar você

Jamile Ferraz

Jamile Ferraz Jornalista, mas gosta mesmo é de romance barato. Virginiana com vida profissional, mas nunca conseguiu tomar um rumo na vida pessoal. Acredita em destino, mas nem tanto. Apaixonada por livros, cinema e a música é como combustível. Um dia vocês vão ouvir falar de mim.

Um eu sem você #10 – 13 de Outubro

Meu anjo ouviu minhas preces e permitiu que eu acordasse um pouco melhor hoje, mas eu ainda lembro-me de você. Em todo segundo que minha cabeça para é em você que eu penso. No seu beijo, no seu cheiro.

Por falar em cheiro, hoje eu decidi voltar a usar meu perfume antigo… Dessa forma, lembro menos de você. É triste, né? Mas o meu próprio cheiro me faz lembrar de você.

Vejo um link com dicas para a monografia e me seguro para não compartilhar com você. Vejo sua foto no Instagram e minha vontade é de comentar nele. Não, é de estar com você, te abraçando por trás. De ser tua.

A falta de fome não me deixa perceber que já passou da hora do almoço e saio almoçar às 13h15. Como por obrigação, não por querer ou sentir fome. A correria do dia me faz esquecer o coração que carrego no peito, mesmo que por alguns minutos.

Planejo ir ao show da Banda do Mar, conforme havia combinado com você… De certa forma, uma mínima ponta de esperança que seja de cruzar com você me anima, mesmo tendo visto que vai a uma festa em Marília.

Em outro segundo, uma amiga me surpreende e planejo ir para a praia. Ah, a praia. Eu aceito. De forma infantil que não me orgulho, espero que veja e te toque ou incomode.

alone-beach-black-fashion-Favim.com-2637864

Em um dos sites que entro diariamente, encontro uma matéria sobre um cara que criou infográficos com receitas. Se fosse há duas semanas, eu teria enviado o link para você, brincando com os seus dotes na cozinha e, no final, riríamos juntas.

Hoje é Dia do Terapeuta Ocupacional, e antes mesmo que você postasse algo sobre a data, eu já sabia dele e planejava te parabenizar. Mais uma vez, guardo tudo pra mim.

Após o expediente vou ao cinema com uma amiga da agência e a cada passo no Shopping, vejo coisas as quais gostaria de poder dividir com você. Penso que, se um dia voltarmos a ser quem éramos, juntas, terei tanto assunto com você. São tantas conversas mentais que já não consigo mais contá-los.

Estou mais leve, mas não o suficiente para que meu pensamento não me leve de encontro a você e às memórias que insistem em viver.

Por uma noite, sinto meu coração mais calmo.

Deito para dormir, mas não consigo. Dormir, pra que? O corpo quer descansar, mas a mente sente a cabeça repousar no travesseiro e quer voar pra bem longe, onde o rei é o Amor e a rainha é a Felicidade.

Bem melhor do que nos sonhos, no silêncio da noite, com os olhos bem abertos e sentindo seu coração pulsar, é que a poesia vem te visitar e te encher de vida.

Carla Oliveira

Carla Oliveira Jornalista por formação, apaixonada pelos encantamentos diários por destino. Há 23 anos tenta escapar dos sentimentos, mas sem eles fica sem sentido. O cheiro que mais gosta é aquele teu que gruda na pele dela. Ah: canceriana, intensa, extremista e chata.

A difícil missão de ser um ariano

Sol, lua e ascendente em Áries. Esse sou eu. Você pode até não acreditar em signos, astros etc., mas que é legal admirar as belas coincidências, isso é. O terror de alguns e o paraíso de outros, o ariano é, por natureza, quente e fervoroso. Nesse relato, conto como eu sou e o comportamento geral de um ariano. Acreditando ou não, leia. É divertido rir da minha cara de besta.

O elemento de Áries é fogo. O ariano é intenso, verdadeiro, honesto, mas é teimoso, turrão, geralmente só ouve a ele mesmo e, no fundo, finge ser leão, mas é um belo cordeirinho. Como fogo, o ariano explode, incendeia, tem um acesso de fúria incontrolável que dura eternos… 30 segundos. Depois disso, a raiva passa, o mar vira calmaria e é como se nada tivesse acontecido. Ele até pode remoer aquele sentimento por alguns dias, mas logo ele supera e deixa pra lá.

Eles são bons de coração, viu? Apesar que, no ápice de sua revolta, o ariano pode ser bem vingativo. O grau da vingança ou a existência dela varia conforme a evolução espiritual do ser em si. No meu caso, já não perco mais tempo com isso.

Eu e todo bom ariano morremos de amor. Sempre. Diferente do leão raivoso, o ariano apaixonado é como um cachorro: fiel, apaixonado, intenso e capaz de tirar a roupa do corpo para dar ao seu amor. Ele defende com unhas e dentes aquilo que acredita, quem ama e é capaz de comprar uma briga com Deus e o mundo pela paixão. Mas olha, da mesma maneira em que se dedica, o ariano também cobra. Ele é ciumento sim, ele cobra atenção e presença sim, e geralmente ele também é bem inseguro. O ariano nunca confia plenamente no seu taco quando o assunto é amor.

Outro bônus de se apaixonar por um ariano é a cama. Não, não só dormir. O ariano é uma máquina de desejo e sexo. É igual aquele touchscreen de última geração: tocou, tá funcionando. Insaciável, eu diria. Talvez perca só pra escorpião. Aliás, arianos e escorpianos geralmente só se dão bem na cama. De resto é uma tormenta só.

Fazer um ariano se apaixonar por você é muito fácil: dê atenção mas nem tanto, inclua o ariano na sua rotina, deixe ele achar que está no controle, que está te ajudando na sua vida… O ariano gosta de fazer o parceiro crescer e prosperar. E, para isso, ele é capaz de virar sua vida de cabeça para baixo.

Como excelentes comunicadores, o ariano vai se dar bem com sua família, com seus amigos, com seus bichos de estimação, com seus vizinhos… Honestamente, é fácil amar os arianos, já que eles são pouco convencidos. Ha ha 😛

aries

No campo profissional, o ariano é um excelente comunicador. Se dá bem em posições comerciais, de liderança ou que exijam criatividade. Manter um ariano na rotina é pedir para matá-lo pouco a pouco. Ele  não se acostuma com isso.

Em geral, arianos são detalhistas, observadores e cuidadosos… Até demais. Eles prestam atenção em tudo, em cada detalhe e, por serem muito criativos, vão pensar em 1200 possibilidades. Para o bem ou para o mal. Por isso, seja sempre o mais claro e objetivo possível com arianos. Nós detestamos rodeios. Gostamos mesmo é da verdade, por mais dura que seja.

Não espere que um legítimo ariano vá passar a mão na sua cabeça, eles são excelentes conselheiros por causa disso. Conseguem enxergar sua vida com a frieza e a distância necessária para lhe dar belíssimos conselhos. Se envolvem muito emocionalmente também, feito crianças choronas, mas são, em geral, excelentes conselheiros.

E o que temos de bom em dar conselhos, temos de ruim em tomar nossas próprias decisões. Arianos são, em geral, muito indecisos quando o assunto envolve a própria vida deles. Se você é amigo de um, tenha paciência. No fundo existe um bom coração pronto para lhe ajudar.

Alguns arianos também adoram se fazer de vítima. Puro teatro e cedo ou tarde você vai perceber isso. Coisa pra exercitar o charme. Entre na onda, dê um pouquinho de carinho e atenção e… Você acaba de arrebatar um coração… Se você for bonito.

É fato, arianos tem um apreço exagerado pela estética, pela beleza e pelo físico. Depois, é claro, preferem sempre a personalidade, mas o que vai chamar a atenção do gato de áries na balada é o corpitcho do paquera. No meu caso, o sorriso e a composição da face é que me agradam mais.

No resumo da ópera, não é nem o melhor nem o pior. Os arianos são únicos, são fofinhos e exageradamente simpáticos. Sorte sua se apaixonar por um, pois dificilmente ele fará algo para te magoar, mesmo que ele não retribua. Agora, se ele se apaixonar por você… Aí é sorte grande. Aproveite, pois dificilmente você encontrará alguém mais apaixonado.

Leonardo Lino

Leonardo Lino 24 anos, publicitário, trabalha com Marketing Imobiliário e é um apaixonado por economia, política e filosofia. É um inimigo declarado do estado. Um monarquista pragmático. Tem como inspiração Ayn Rand e Ludwig von Mises. Gosta de falar abobrinhas, bobagens e jamais vai te levar a sério. Está aprendendo a escrever, desculpem os maus modos.

Quando existe amor, demonstre

Se um dia seu corpo todo foi tomado pelo amor e seus pensamentos inundados de felicidade plena, não deixe de dizer isso a quem tem pelo menos um terço da responsabilidade disso. Um “obrigada por me fazer feliz” é tão significativo quanto um “eu te amo” e faz uma baita de uma diferença.

Amar e não demonstrar é a mesma coisa que ter o mundo de palavras para soltar e se calar. É como se você quisesse conectar seu olhar com quem você ama e, quando pegar ar para dizer, se fechar e engolir garganta a baixo o sentimento.

As pessoas não conseguem prever o que seu coração quer transmitir, não dá para eu entrar em você e investigar o que te faz se esconder, não dá para eu achar o seu “eu te amo” sem você me dizer. E se o medo do tempo não existir, deixe eu saber que um dia você foi grata por abrir um sorriso e que a única culpa que devo carregar é por ter te feito muito melhor.
umeusemvoce

Fico imaginando quantos sinais você deixou de me dar, quantas vezes você pensou em dizer que alguma foto minha estava incrivelmente linda. É justamente quando penso no tempo que temos aqui que me perco na tristeza de saber que você nunca me procurou, que na minha frente é a guria mais durona e fria do mundo mas quando se vira se enfraquece e desmorona, e eu, que não sei de nada, fico imaginando que você foi quem esqueceu primeiro, e olha que eu tentei ocupar a primeira posição nessa maratona do esquecimento.

A insegurança de olhar para dentro é tão grande que você faz questão de mentir sobre si mesmo para continuar ocupando o cargo de quem sobreviveu, nem por um segundo se quer soube sentir sua dor e analisa-la, afinal, é mais fácil viver se enganando do que pegar a merda de um carro e me encontrar para dizer o que seu coração tanto quer falar.

O mundo pode acabar amanhã e eu nunca vou saber se o meu calor pode aquecer as coisas por aí, o mundo pode acabar amanhã e você vai passar esse tempo se perguntando se ia ser diferente se você pegasse o celular, digitasse meu número e me surpreendesse com um: “Puta saudade de você”.

Jamile Ferraz

Jamile Ferraz Jornalista, mas gosta mesmo é de romance barato. Virginiana com vida profissional, mas nunca conseguiu tomar um rumo na vida pessoal. Acredita em destino, mas nem tanto. Apaixonada por livros, cinema e a música é como combustível. Um dia vocês vão ouvir falar de mim.

Porque UmEuSemVocê?

Eu teria pelo menos uns 4 assuntos para abordar em textos filosóficos de como o mundo funciona na minha cabeça já que essa semana foi difícil e bastante reflexiva. Pois bem, é hora de organizar tudo em palavras para transmitir alguma mensagenzinha que chegue até os corações de vocês.

É a primeira vez que vou falar do blog no blog. O Um Eu Sem Você surgiu numa madrugada solitária quando eu não conseguia dormir e inventei de escrever o que eu tinha aprendido depois que atingi o estágio do término de um namoro. Achei a ideia de transmitir mensagens por meio dos aprendizados que tive sensacional, além de, claro, estar me livrando aos poucos das dores que todo-ser-humano-que-já-se-apaixonou-na-vida-sente.

O nome diz tudo: Um EU Sem Você – ou melhor, quem eu me tornei depois de você. Já parou para refletir quem você se tornou depois de saber que era hora de começar do zero? O que você inventou de fazer nos finais de semana, com o que você anda se divertindo para fugir da realidade, qual está sendo seu universo paralelo para acalmar seu universo central? Quem você é depois de ter perdido o amor que julgava que merecia?

profile_novo_2

Foi então que convidei dois dos mais entendedores de desamores que já conheci na vida: a Carla e o Léo – dois dos meus melhores amigos e que foram alpinistas na fase em que eu estava no fundo do poço. Até hoje aprendo com esses dois e foi assim que surgiu a vontade de compartilhar tudo que esses 3 corações têm a oferecer a vocês.

Não posso esquecer de uma pessoa que não hesitou em entrar nessa aventura com a gente, o Jonathas, Sabe esse design que o blog tem? Sabe essas fotos de tipografias no caderno? É o Jonathas quem faz e ela manda benzão.

Juntos, formamos – até o momento – o UmEuSemVocê, que acabou deixando de ser apenas (m)eu e está crescendo com uma baita guzirada se identificando com esse projeto que surgiu por uma decepção amorosa.

Como disse no começo do texto, a semana foi difícil, tive tempo de sobra pare refletir sobre a minha vida e tudo que eu tenho para dizer é: VIVA IMENSAMENTE. VIVA. A vida é teu melhor presente, faça dela a sua melhor aventura.

Esse blog é só mais um exemplo de que a vida me deu um limão e eu resolvi fazer uma limonada. As nossas decepções poderiam ficar guardadas na gaveta e vocês nunca iam ter uma compreensão significativa do que o amor pode nos trazer, mas a gente escolheu transformar nossas dores em arte e hoje escrevemos para os corações mais desacreditados e os mais inusitados.

Cada história é um aprendizado e compartilhar isso foi a forma mais sincera que encontrei de transformar tudo que me afogava em oxigênio para respirar.

O legal é que a gente ama contar histórias, mas amamos ainda mais ouvi-las. Quer contar para gente o que você aprendeu, qual é sua visão do mundo, quer desabafar, ou simplesmente escrever para aliviar o core? A gente adora conhecer mais dos nossos leitores.

Escreva para: umeusemvoce@outlook.com. O Jonathas estreou a coluna do leitor, quem sabe o próximo não pode ser você?

Fiquem ligados também que estamos preparando outras mil novidades para ampliar ainda mais essa coisa gostosa que é escrever para quem quer nos ouvir falar.

Jamile Ferraz

Jamile Ferraz Jornalista, mas gosta mesmo é de romance barato. Virginiana com vida profissional, mas nunca conseguiu tomar um rumo na vida pessoal. Acredita em destino, mas nem tanto. Apaixonada por livros, cinema e a música é como combustível. Um dia vocês vão ouvir falar de mim.

Um eu sem você #9 – 12 de Outubro

Na falsa tentativa de não sentir nada, acordo às 10h para tomar remédio e volto a dormir. Levanto apenas às 15h, era inevitável ter que me enfrentar. Com o abrir dos olhos, o coração apertado e as lágrimas sem fim, minha cabeça pira e as perguntas sem respostas vêm e não me deixam ficar em paz.

Por que é tão difícil? Por que eu fui pensar que com você seria diferente? Por que eu fui me permitir? Por que acreditar se é sempre a mesma coisa? POR QUE?

A dor está insuportável hoje, e eu preciso de você. Preciso conversar com você. E te procuro. Você disse que vai me ligar.

Quando me liga, estou aos prantos e me entrego: eu não estou conseguindo. E você, com seu iceberg no lugar do coração quente que conheci, apenas diz não saber o que me falar e diz ser melhor desligar.

Não é mais recíproco, eu sei – será que algum dia foi?. Te peço desculpas por ser fraca e te procurar e aviso que deletarei seu número, pois só assim pra eu não mais te procurar.

tumblr_ln0v20RkDp1qivmx3o1_500

Eu sempre cumpro minhas palavras e promessas. Carrego pra sempre comigo os planos que um dia conversamos e pensamos realizar juntas. Assim como Vinícius de Moraes, “se você está pensando que eu estou me importando, claro que eu estou. Eu não sou feito essa gente que ama e, de repente, tchau, e se acabou”.

Esse domingo está me matando por dentro e eu choro com tudo, até mesmo lavando a louça. Para jantar, peço um lanche pelo Papa Rango e mais uma vez lembro de você.

Um pouco mais calma e passeando pelo Tumblr, vejo fotos de mulheres bonitas… E lembro que seus seios eram os mais bonitos que já vi. Era só estar ao teu lado que faíscas saíam e tudo fazia sentido.

Nesse momento é difícil acreditar que vou viver algo assim com outra pessoa, se não você.

Carla Oliveira

Carla Oliveira Jornalista por formação, apaixonada pelos encantamentos diários por destino. Há 23 anos tenta escapar dos sentimentos, mas sem eles fica sem sentido. O cheiro que mais gosta é aquele teu que gruda na pele dela. Ah: canceriana, intensa, extremista e chata.

Mas livra-nos do mal. Amém!

Você pode ter religião. Pode não ter. Pode acreditar em destino ou pode viver do acaso. Pode achar que tudo é fruto das suas escolhas ou pode achar que o universo tem um plano pra você. Talvez você seja do tipo cético ou talvez seja do tipo místico. Independente de tudo aquilo que você acredita ou não, uma coisa essencialmente todos somos: humanos.

Seja pelo Kharma ou pelo acaso, a natureza humana é absolutamente focada no aprendizado. Nós estamos em constante aprendizado, dia após dia. Eu, como todos sabem, acredito piamente que as coisas estão todas conectadas, e que as minhas preces são atendias.

livrai-me-de-todo-mal

Não importa o tipo de lição que você pratica, o importante mesmo é aprender. A minha última lição – fresquinha, de ontem mesmo – foi baseada na expectativa aliada à doação. Dada a experiência que vivi ontem à noite (long story, caro leitor. Perdoe-me a deselegância), eu deveria estar escrevendo um texto cheio de melancolia, revolta, raiva e ódio. Eu deveria estar aqui disseminando todo o mal que senti percorrer o meu corpo nas últimas horas.

Mas não. Sentei, meditei, respirei, orei e decidi que carregar esses sentimentos é exatamente aquilo que eu não quero pra minha vida. Eu decidi que vou transformar toda essa negatividade em perdão, resignação, piedade e bondade. E olha, não é fácil. Me deitei às 03h e ainda não dormi. Agora são exatamente 09h19 e eu estou aqui, acordado, com a cabeça a milhão sentindo um mix de emoções que eu não pensei que pudessem coexistir.

Sempre que você sente algo por uma pessoa, cria uma expectativa e se decepciona, provavelmente você sentirá o mesmo que eu senti. Nós não controlamos os nossos sentimentos. No entanto, podemos aprender, pouco a pouco, a transformá-los. Você não precisa e não deve carregar nada de negativo com você. Sentir raiva, amargura e coisas do tipo é tomar veneno e esperar que o outro morra. Não se mate.

O primeiro passo para aceitar a decepção é entender o primeiro parágrafo do texto: somos humanos. Somos fracos, suscetíveis ao erro e ao impropério. Somos seres tão complexos em nossa originalidade que errar torna-se parte essencial de nossa existência. E é do erro que tiramos as lições.

Veja: eu gostei, me entreguei, dei meu melhor, fui meu melhor, fui inteiro. E recebi metade, recebi o descaso, recebi aquilo que eu não desejaria para ninguém. Mas e daí? Culpar o outro por escolhas minhas não me lavará para um lugar melhor.

Sabe, esses tombos fazem com que nós nos olhemos por dentro, que vejamos quão belo é o nosso ser e quão maravilhosos nós somos. Às vezes nos esquecemos disso para viver em prol do outro, em prol de algo que não sabemos se é coisa sólida ou se é mole feito areia. E o tombo nos faz encontrar o perdido: a beleza e o amor que existe em nós, de fato. E se quem estava com você não quis enxergar isso, não quis viver isso, não quis aceitar esse presente maravilhoso que é você, qual o problema? Presente caro não pode ter dono barato.

O ponto que quero deixar registrado aqui é que tudo passa, e pode passar mais rápido se você compreender que tudo o que vai é porque não era para ficar. É “livrai-nos do mal, amém!” e agora você junta caquinho por caquinho desse coração e se refaz. Pois ao contrário do vidro, você não fica quebrado pra sempre.

Seja luz, fique na luz, espalhe a luz!

Namastê!

E eu queria deixar aqui registrado o meu agradecimento público às minhas amigas, aos meus guias e anjos, sem as quais eu viveria imensamente mais triste e incompleto. São nesses momentos que a amizade verdadeira se fortalece ainda mais, e as novas aparecem. Gratidão ao universo e aos anjos por tamanho presente. Não sei se sou merecedor de tanto. Amo vocês, amigas! ❤

Leonardo Lino

Leonardo Lino 24 anos, publicitário, trabalha com Marketing Imobiliário e é um apaixonado por economia, política e filosofia. É um inimigo declarado do estado. Um monarquista pragmático. Tem como inspiração Ayn Rand e Ludwig von Mises. Gosta de falar abobrinhas, bobagens e jamais vai te levar a sério. Está aprendendo a escrever, desculpem os maus modos.

Será que você me ama?

Nos últimos meses meu coração tem estado do avesso e em meio aos incansáveis questionamentos que faço durante as noites de insônia, a pergunta que mais me intriga para saber a resposta é: será que você me ama?

Recordo nossos encontros diários de 15 minutos e me alegro em saber o quanto nosso relacionamento cresceu ao longo do tempo, graças a este curto espaço na nossa rotina universitária. E foi no meio acadêmico onde o medo da exposição se rompeu, sendo admirados até mesmo entre os professores mais conservadores que defendiam nosso namoro e se alegravam com nossa cumplicidade, respeito e inteligência. Os desafios do caminho não barraram a possibilidade de construirmos sonhos e planejarmos nosso futuro.

O vazio que ficou após sua despedida é um sentimento misto, que por vezes se desaba em choro ao recordar o quanto meu coração te tratava como realeza. Em outros dias aparece a culpa pela indisponibilidade, expondo minha covardia e medo em exigir mais liberdade dentro de casa, ou por ter feito e dito tantas besteiras depois que você se foi. Quando levamos socos e pontapés o coração nos obriga a reagir e isso chega a ser degradante a ponto de se considerar um crime. Há também aqueles dias em que sinto raiva e ódio por você ter jogado todos os meus sentimentos em uma lata de lixo com calúnias e injúrias, tendo eu que suportar a dor em te ver escrevendo “eu te amo” a outro homem.

imagem do post

As verdadeiras amizades foram essenciais para minha recuperação e estavam sempre prontos para ouvir o choro, soltar um sermão ou me arrastar para a balada no fim de semana. A liberdade conquistei tarde para aproveitar com você, mas não me proibiu de viver aventuras ao lado de novos personagens. Só quem está ferido sabe a intensidade da dor e não importa quantos amigos você tenha, eles não conseguirão suturar o buraco no seu peito, mas tentarão te fazer sorrir novamente.

Um dos meus recomendou escrever. Relutei pelo incômodo em tocar na ferida, mas agora percebi o quanto isso me faz bem. Depois das mortes emocionais que enfrentei ao longo dos meses passados, as palavras agora começam a se fundir facilmente nas composições textuais.

Podem até dizer que sou louco por gostar de alguém que talvez não sinta o mesmo por quem sou, ou parecer insano quando só queria o perdão, acompanhado daquele abraço quente e forte, mas o tempo está se encarregando de deixar as mágoas no passado, mantendo vivas as lembranças de dias que teu sorriso espantava qualquer problema ou de quando sentávamos na grama ao fim da aula para contar as estrelas.

Muita coisa mudou dentro de nós e mesmo sem saber a resposta ao que dá título a este texto, sinto que algo nos mantém conectados. Talvez seja ódio, dor, repulsa ou algo semelhante, mas para mim é a certeza de que ainda te amo.

Jonathas Trevisan

Jonathas Trevisan Designer gráfico, adora gastar dinheiro com livros de arte ou romances policiais. Em registro constam 20 anos, mas às vezes parece um velho de 60. Dá livre curso às suas vontades, beirando o excesso, pois quer experimentar e explorar tudo o que for possível desta vida.

 

Nós somos infinitos

Poucas vezes na vida a gente se sente infinito. Lembro que a primeira vez que ouvi a palavra “infinito” foi em uma música e que me fez pensar o quão pequenos somos diante do todo, mas quando interpretei o “sentir-se infinito” no livro “As Vantagens de Ser Invisível” compreendi corretamente o termo. Era eu e o resto de tudo, só.

Parece impossível chegar nesse estado tão sobrenatural, mas não é. No livro, o momento em que o protagonista Charlie se sente infinito é quando ele escuta uma música na picape do seu melhor amigo e fica na parte traseira do veículo para se posicionar em pé e sentir o vento, a música e a sensação de estar com as pessoas que ele mais amava. Ali, naquele momento, Charlie considerou sentir-se infinito.

E eu, particularmente, sei muito bem que essa teoria dá certo mesmo. O vento batendo contra seu corpo, contra seu cabelo, contra seus olhos, deixando a boca seca e o som alto da música entrando pelos seus ouvidos, tudo isso acompanhado pela sensação mais extraordinária do mundo: a de estar presente com pessoas que gostam de verdade de você. É um momento simples, mas que na imensidão do planeta te faz infinito.

Lembro de estar em poucos lugares, entre poucas pessoas, e ter a mesma sensação que o Charlie teve. Encontrei essa sensação em dois momentos diferentes da minha vida, mas que tinham algo em comum – eu estava entre amigos. Não precisei comentar com nenhum deles o que estava sentindo, simplesmente fechei os olhos e deixei o vento percorrer o meu corpo, eu sabia que naquele momento ninguém poderia destruir o meu infinito.

maxresdefault

Quando começamos entender o sentido das coisas em nossas vidas é que começamos a enxergar o sentido de tudo ter acontecido da forma que aconteceu. O meu sentir-se infinito é a sensação que encontrei para dizer aos meus amigos o quanto eles me preenchem e o quanto eu quero que todas as vibrações que meu ser recebe deles não tenha fim.

Eu sei que muita gente não vai acreditar no estado de plenitude e de poder que o infinito pode te dar, ou vai achar que ser sentir-se o dono do mundo por alguns segundos é algo totalmente fora da realidade, e acabo me perguntando o quanto essas pessoas acreditam na vida e por qual motivo estão vivendo – se é que estão vivendo.

Eu busco pelo desconhecido em cada esquina para provar que eu estou viva e vivendo cada momento como se fosse o último. Vejo que se eu caminhar para o desconhecido vou ter pelo menos três amigos me acompanhando porque, porra, eles estão vivendo. Então eu não me importo se um dia tudo isso só vai virar história: hoje nós somos infinitos.

Jamile Ferraz

Jamile Ferraz Jornalista, mas gosta mesmo é de romance barato. Virginiana com vida profissional, mas nunca conseguiu tomar um rumo na vida pessoal. Acredita em destino, mas nem tanto. Apaixonada por livros, cinema e a música é como combustível. Um dia vocês vão ouvir falar de mim.