Dicas para equilibrar seus sentimentos

Vivemos uma miscelânea de sentimentos durante toda nossa vida. Às vezes, no mesmo dia, você pode sentir do amor ao ódio em um piscar de olhos. A vida é dinâmica e a gente também. Por isso, é importante aprender a equilibrar seus sentimentos para que nenhum deles te domine.

As técnicas são simples. Inclusive podem parecer simples demais, mas funcionam. Vamos lá:

tumblr_m492m7i6c31rwur42o1_500

DESCUBRA SE O QUE VOCÊ SENTE É REALMENTE SEU

Já esteve em um lugar ou situação e, do nada, você começou a sentir-se triste, irritado, nervoso, angustiado?

Muitas vezes captamos as energias do local ou das pessoas com quem estamos, por isso uma auto-análise breve é fundamental para se manter alinhado.

Faça perguntas do tipo “Esta angústia que eu estou sentindo é minha?”, ou “Eu tenho motivos para me sentir triste?”, ou ainda “de onde vem essa raiva que eu estou sentindo? Não tenho motivos para sentir isso…”

Facilmente você vai descobrir que está carregando algo que não é seu, e restabelecerá seu equilíbrio.

ENTENDA QUE TUDO PASSA

Ao nos depararmos com uma situação difícil, tendemos a acreditar que aquilo vai durar para sempre. Não vai, pois nada é para sempre. Entender que o que se vive é breve e está acontecendo para te ensinar alguma lição é fundamental para não deixar abater-se.

Tente enxergar a vida como um jogo e você como um jogador. Não foque em seus problemas, mas nas soluções que você imagina para eles. Até as mais absurdas valem. Muitas vezes a resposta que procuramos está bem ao nosso lado, e nós deixamos passar por nos concentrarmos no problema e não na solução.

ACEITE QUE NADA É SEU

Seja o carro, o emprego, o namorado… Nada é realmente seu. Nós somos passageiros do tempo e coisas vem e vão a todo o momento em nossa vida.

O apego é um dos nossos maiores inimigos em busca da felicidade. Apegar-se a pessoas, a idéias, a objetos, situações, tornam você escravo de si mesmo e das circunstancias, e todos sabemos que você não quer viver assim. Entender que você é senhor apenas de si mesmo, dono apenas de suas escolhas e consequências farão de você uma pessoa mais calma e serena. Deixe tudo aquilo que precisa ir embora ir. Reduza seu sofrimento. Aceite que você merece algo melhor e o melhor só pode chegar na hora que o ruim der espaço.

NÃO PEÇA PACIÊNCIA

Pedir paciência é uma grande armadilha. Sempre que pedimos paciência, Deus, o Universo, a Vida ou como você queira chamar, nos dá oportunidade para exercitá-la. Como você exercita a paciência? Sim, isso mesmo: ficando irritado. E você não quer isso, né?

Ao invés de pedir paciência, peça sabedoria. É muito mais útil e os resultados são muito melhores.

E POR ÚLTIMO, PREOCUPE-SE MENOS

Existe um provérbio chinês que diz: “Se o problema tem solução, não esquente a cabeça, porque tem solução. Se o problema não tem solução, não esquente a cabeça, porque não tem solução.”  E é exatamente isso. Ao invés de focar no problema, foque na solução.

Por exemplo: Ao invés de ficar pensando nas dívidas, foque na solução – ganhar dinheiro. Ao invés de pensar que você está gorda, pense na solução – Vou me matricular numa academia.

Se você se irrita com alguma pessoa ou ambiente, pense que ficar irritado só faz mal a você mesmo. Coloque fones de ouvido, leia algo, abstraia… Assim o tempo passa mais rápido.

Espero que essas dicas simples tenham ajudado. Tente sempre buscar o equilíbrio, e deixe a energia fluir naturalmente.

Paz e bem para você.

Namastê!

Leonardo Lino 24 anos, publicitário,  é um apaixonado por economia, política e filosofia. É um inimigo declarado do estado. Um minarquista pragmático. Tem como inspiração Ayn Rand e Ludwig von Mises. Gosta de falar abobrinhas, bobagens e jamais vai te levar a sério. Também tem um lado místico. Não me olha torto que meu santo é forte. Está aprendendo a escrever, desculpem os maus modos.
Anúncios

Carta para você que está no meu lugar

Olá, caro(a) responsável pela felicidade dessa menina que deve acordar ao seu lado nos finais de semana, essa carta é para você. Eu não sei se você é um garoto ou uma garota e isso não me importa, já que as pessoas são capazes de se apaixonar por outras pessoas e não por gêneros.

Bom, você certamente precisará saber de algumas coisas que eu faço questão de te escrever.

Antes de firmar aquele famoso “acordo” de relacionamento sério no facebook tenha suas próprias certezas, essa menina não merece a ilusão dos amores que ela encontra. Ela merece a tua verdade, que, de fora, espero que seja sincera, como a minha um dia foi.

Se o relacionamento for intenso e verdadeiro dê, de preferência de surpresa, uma aliança, mas não as redondas que são clichê dos casais, nem com pedrinhas, pelo amor de Deus – ela não gosta de pedrinhas na aliança. Dê uma simples, mas que a faça lembrar que toda aquela simplicidade carregada no dedo da mão direita é o seu mundo dado a ela.

Ela vai ser a pessoa que mais te conhece no mundo, vai pesquisar coisas da sua banda favorita, da sua marca favorita, do seu filme favorito, do seu curso da faculdade e com todas essas informações ela vai acertar nos presentes. Portanto, não fique por baixo. Seja criativo nas datas comemorativas. Não precisa ter dinheiro, ela vai reparar na boa intenção do teu ato. Então, por favor, agrade essa menina com singelas atitudes de afeto e carinho diário. Se você não sabe, ela é canceriana, e bom…. Cancerianos normalmente são mais emotivos do que o normal e ela vai sentir falta da atenção diária que é dada a ela.

Deixe ela mostrar as reações químicas e os relatórios de cada aula da faculdade dela para você, mesmo que você não entenda nada. Veja como a letra dela é delicada e como ela se dá bem nessas coisas que provavelmente vão te assustar.

Se ela mandar foto de algum objeto, ou organismo, ou comida no microscópio, diga que a foto é interessante e que você quer saber mais sobre. Se vier uma foto com letras e números numa mesma folha, fique impressionado – não é qualquer um que entende de cálculo.  Observe ao menos uma vez o quão apaixonada pela profissão ela está e diga isso a ela.

tumblr_n9l86gOkqE1stpwsmo1_500

Quando vocês forem dormir juntos seja carinhoso, mas não o tempo todo. Saiba os momentos que você vai poder ser ousado e sempre busque surpreendê-la. Depois de todo aquele amor bem feito, deixe ela observar seu corpo até que ela se sinta na liberdade de encostar a cabeça no seu ombro e entrelaçar a perna esquerda dela com as suas.

É importante lembrar do senso de humor. Faça piadas internas, externas e comentários engraçados. Às vezes vai ser uma bosta e ela vai falar isso para você, mas em seguida ela vai rir, e você terá alcançado seu objetivo.

Quando ela estiver doente, a carência dessa menina se multiplicará e você não ouse em recusar estar perto dela e nem de ir buscar um remédio que está a metros de distância de você.

Se ela ficar brava com alguma coisa que você fez seja paciente e converse, o diálogo é a melhor solução, e de preferência olhe nos olhos dela para que haja uma compreensão do teu lado e do lado dela, que geralmente será o lado certo.

Dificilmente ela vai achar o corpo dela bonito, vai encontrar algo errado nos pés, nas mãos, no cabelo… Então faça com que ela se sinta linda até com a camiseta rasgada do Batman, diga como ela é perfeita quando acorda mesmo se a maquiagem dos olhos estiver chegando perto da boca. Se possível, cite o máximo de qualidades que você encontrar e crie uma lista para ela se lembrar do quanto é linda.

Caro responsável, você não vai encontrar alguém que chegue aos pés do que essa menina pode fazer por você, e quando se sentir realizado a culpa vai ser totalmente dela, sendo assim, seja a soma que eventualmente aumentará as perspectivas que essa menina tem do futuro, cresça com ela, faça planos e almeje o melhor. O amadurecimento das pessoas sempre atraiu o coração dela.

Por fim, declaro aqui minha satisfação em saber que esses métodos serão cumpridos e que dessa vez a felicidade plena baterá em sua porta.

Jamile Ferraz

Jamile Ferraz Jornalista, mas gosta mesmo é de romance barato. Virginiana com vida profissional, mas nunca conseguiu tomar um rumo na vida pessoal. Acredita em destino, mas nem tanto. Apaixonada por livros, cinema e a música é como combustível. Um dia vocês vão ouvir falar de mim.

Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo

Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente.

Martha Medeiros tinha razão quando finalizou “A Despedida do Amor” com essa frase. Na verdade, essa crônica vem me assombrando desde julho, quando comecei a sentir a segunda dor.  Você deve estar se perguntando quais são essas duas dores que sentimos quando o amor se despede da gente.

A primeira é a dor física, a saudade dos abraços, dos beijos, a dor que aperta o coração e ele mesmo assim continua batendo. E se você acha que a primeira é massacrante, experimente conhecer a segunda.

No segundo estágio da dor você vai entender que dói mais deixar que o amor saia de você do que a própria saudade do outro.

28530-Alone-On-The-Pier

Não é fácil esvaziar nosso coração, se livrar dos sentimentos, do apego ao que foi bonito e mágico. A gente se acostuma a esquecer do que não fez bem, mas se livrar do que te fez feliz dói também. E dói em dobro.

Mesmo que os tempos sejam outros e que o amor que você vê hoje não seja o qual se adeque a sua vida, o amor que um dia sentimos ainda faz doer, abandonar esse papel de “seremos felizes” parte em bilhões de pedaços o castelo de esperança que a gente cria para morarmos eternamente lá.

Eu me encontro nessa fase, meio perdida porque querer deixar esse amor ir é também abandonar uma parte de mim que eu realmente gostava. É sair daquele castelo sem direção, sem nada, mas é também nessa fase que vou me reencontrar, deixar as fantasias dos meus desejos para dar de cara com a realidade, que não pertence mais a sua.

Portanto, meus caros, despedir-se  de um amor é despedir-se de si mesmo.

Jamile Ferraz

Jamile Ferraz Jornalista, mas gosta mesmo é de romance barato. Virginiana com vida profissional, mas nunca conseguiu tomar um rumo na vida pessoal. Acredita em destino, mas nem tanto. Apaixonada por livros, cinema e a música é como combustível. Um dia vocês vão ouvir falar de mim.

Quando existe amor, demonstre

Se um dia seu corpo todo foi tomado pelo amor e seus pensamentos inundados de felicidade plena, não deixe de dizer isso a quem tem pelo menos um terço da responsabilidade disso. Um “obrigada por me fazer feliz” é tão significativo quanto um “eu te amo” e faz uma baita de uma diferença.

Amar e não demonstrar é a mesma coisa que ter o mundo de palavras para soltar e se calar. É como se você quisesse conectar seu olhar com quem você ama e, quando pegar ar para dizer, se fechar e engolir garganta a baixo o sentimento.

As pessoas não conseguem prever o que seu coração quer transmitir, não dá para eu entrar em você e investigar o que te faz se esconder, não dá para eu achar o seu “eu te amo” sem você me dizer. E se o medo do tempo não existir, deixe eu saber que um dia você foi grata por abrir um sorriso e que a única culpa que devo carregar é por ter te feito muito melhor.
umeusemvoce

Fico imaginando quantos sinais você deixou de me dar, quantas vezes você pensou em dizer que alguma foto minha estava incrivelmente linda. É justamente quando penso no tempo que temos aqui que me perco na tristeza de saber que você nunca me procurou, que na minha frente é a guria mais durona e fria do mundo mas quando se vira se enfraquece e desmorona, e eu, que não sei de nada, fico imaginando que você foi quem esqueceu primeiro, e olha que eu tentei ocupar a primeira posição nessa maratona do esquecimento.

A insegurança de olhar para dentro é tão grande que você faz questão de mentir sobre si mesmo para continuar ocupando o cargo de quem sobreviveu, nem por um segundo se quer soube sentir sua dor e analisa-la, afinal, é mais fácil viver se enganando do que pegar a merda de um carro e me encontrar para dizer o que seu coração tanto quer falar.

O mundo pode acabar amanhã e eu nunca vou saber se o meu calor pode aquecer as coisas por aí, o mundo pode acabar amanhã e você vai passar esse tempo se perguntando se ia ser diferente se você pegasse o celular, digitasse meu número e me surpreendesse com um: “Puta saudade de você”.

Jamile Ferraz

Jamile Ferraz Jornalista, mas gosta mesmo é de romance barato. Virginiana com vida profissional, mas nunca conseguiu tomar um rumo na vida pessoal. Acredita em destino, mas nem tanto. Apaixonada por livros, cinema e a música é como combustível. Um dia vocês vão ouvir falar de mim.

Será que você me ama?

Nos últimos meses meu coração tem estado do avesso e em meio aos incansáveis questionamentos que faço durante as noites de insônia, a pergunta que mais me intriga para saber a resposta é: será que você me ama?

Recordo nossos encontros diários de 15 minutos e me alegro em saber o quanto nosso relacionamento cresceu ao longo do tempo, graças a este curto espaço na nossa rotina universitária. E foi no meio acadêmico onde o medo da exposição se rompeu, sendo admirados até mesmo entre os professores mais conservadores que defendiam nosso namoro e se alegravam com nossa cumplicidade, respeito e inteligência. Os desafios do caminho não barraram a possibilidade de construirmos sonhos e planejarmos nosso futuro.

O vazio que ficou após sua despedida é um sentimento misto, que por vezes se desaba em choro ao recordar o quanto meu coração te tratava como realeza. Em outros dias aparece a culpa pela indisponibilidade, expondo minha covardia e medo em exigir mais liberdade dentro de casa, ou por ter feito e dito tantas besteiras depois que você se foi. Quando levamos socos e pontapés o coração nos obriga a reagir e isso chega a ser degradante a ponto de se considerar um crime. Há também aqueles dias em que sinto raiva e ódio por você ter jogado todos os meus sentimentos em uma lata de lixo com calúnias e injúrias, tendo eu que suportar a dor em te ver escrevendo “eu te amo” a outro homem.

imagem do post

As verdadeiras amizades foram essenciais para minha recuperação e estavam sempre prontos para ouvir o choro, soltar um sermão ou me arrastar para a balada no fim de semana. A liberdade conquistei tarde para aproveitar com você, mas não me proibiu de viver aventuras ao lado de novos personagens. Só quem está ferido sabe a intensidade da dor e não importa quantos amigos você tenha, eles não conseguirão suturar o buraco no seu peito, mas tentarão te fazer sorrir novamente.

Um dos meus recomendou escrever. Relutei pelo incômodo em tocar na ferida, mas agora percebi o quanto isso me faz bem. Depois das mortes emocionais que enfrentei ao longo dos meses passados, as palavras agora começam a se fundir facilmente nas composições textuais.

Podem até dizer que sou louco por gostar de alguém que talvez não sinta o mesmo por quem sou, ou parecer insano quando só queria o perdão, acompanhado daquele abraço quente e forte, mas o tempo está se encarregando de deixar as mágoas no passado, mantendo vivas as lembranças de dias que teu sorriso espantava qualquer problema ou de quando sentávamos na grama ao fim da aula para contar as estrelas.

Muita coisa mudou dentro de nós e mesmo sem saber a resposta ao que dá título a este texto, sinto que algo nos mantém conectados. Talvez seja ódio, dor, repulsa ou algo semelhante, mas para mim é a certeza de que ainda te amo.

Jonathas Trevisan

Jonathas Trevisan Designer gráfico, adora gastar dinheiro com livros de arte ou romances policiais. Em registro constam 20 anos, mas às vezes parece um velho de 60. Dá livre curso às suas vontades, beirando o excesso, pois quer experimentar e explorar tudo o que for possível desta vida.

 

Ah, teus olhos verdes

Quer saber um segredo, que talvez eu nunca tenha contado pra ninguém? Eu sempre quis ter um amor com a cor dos olhos esverdeados. É, igual a esse teu que ainda não se cansou de olhar para os meus com cor de terra.

Sempre ansiei pelo mergulho nesse mar que alguns carregam no olhar, mesmo que todos meus amores antigos só tenham me oferecido o chão, não o pulo nessas águas lindas que vejo sempre quando meu olhar cruza com o teu.

Mas, ao contrário de todas minhas expectativas, esse teu mar é calmo e doce. É tão bom não ter que me manter alerta o tempo inteiro enquanto nado em ti, como se fosse me afogar, muito menos fechar os olhos e a boca para que o sal não me deixe ainda mais amarga. Sua doçura sai por todos os lados e só me faz te querer ainda mais.

Me tempere a gosto. Ao seu gosto.

Me tempere a gosto. Ao seu gosto.

Às vezes me pergunto se até suas lágrimas têm o gosto adocicado. Devem ter. Menina, queria te dizer que você é pura poesia. E, como todo verso declarado, esbanja alegria, pureza e suavidade por onde quer que passe.

Aprendi com o tempo que, assim como nas refeições, na vida devemos manter o nosso sabor em equilíbrio. Não se endurecer demais, não se amolecer de menos. Para pessoas como eu, extremistas, difícil chegar nesse ponto, mas não impossível.

De repente o teu sabor, misturado com o meu, seja o ponto perfeito para não nos estragarmos mesmo que o tempo passe. Diga-me o que gosta que eu procuro a receita. O que for do teu agrado, assino embaixo.

Carla Oliveira

Carla Oliveira Jornalista por formação, apaixonada pelos encantamentos diários por destino. Há 23 anos tenta escapar dos sentimentos, mas sem eles fica sem sentido. O cheiro que mais gosta é aquele teu que gruda na pele dela. Ah: canceriana, intensa, extremista e chata.

Bagagem emocional

Você já parou para pensar que todos nós carregamos, diariamente, bagagens emocionais? É, isso mesmo. Uma mochila, uma mala ou uma bolsa similar a essas que você leva todo dia para o trabalho – depende do quanto você está disposto a carregar.

E nós, seres humanos acomodados e nada dispostos a trocar aquela mochila velha e surrada por uma nova porque “eu gosto tanto dessa mochila, eu conheço cada bolso dela, cada zíper quebrado”, preferimos continuar carregando nossas bagagens emocionais pesadas e surradas do que encostá-las e pegar uma mais leve.

Convenhamos, é muito mais fácil continuar carregando aquela mala que você sabe que pesa e machuca exatamente na mesma proporção de ontem do que ousar trocar por uma mais nova a qual você não sabe se vai machucar o seu ombro ou não. O novo amedronta.

camer-camera-suitcase-train-track-Favim.com-198180

Demonstrar é tirar tudo de dentro e colocar à mostra. E tudo que se mostra é muito arriscado.

Mas, cedo ou tarde, da mesma maneira em que você para de usar um sapato, pois a sola saiu de tanto usá-lo, você – e eu também – tem que se livrar dessa bagagem que não serve mais para guardar nenhum sentimento bom.

Recentemente eu fiz uma limpeza sentimental dentro de mim e, me desculpa, coloquei aquela bolsa surrada que você me emprestou com uma dose de amor dentro do meu baú imaginário com tudo que poderia ter sido e não foi. Decidi deixar pra lá essa ideia de carregar você comigo de um lado pro outro. Não posso – e nem quero – te apagar da minha história, mas deixei as páginas desse livro em cima da estante para juntar pó.

Larguei minhas bagagens emocionais que tanto pesavam e abri espaço para quem estiver disposto a encher-me de leveza, risos e borboletas no estômago. Quem sabe não é você, se aceitar me carregar contigo.

Um eu sem você #6 – 9 de Outubro

Os dias se arrastam e mais um dia começa. “Ainda é quinta-feira”, penso enquanto coloco meus tênis para ir trabalhar. Hoje o meu coração voltou a pesar e eu ainda não consigo ficar sem pensar em você por mais de 10 minutos.

Hoje sinto sua ausência virtual de maneira suprema. É como se eu nem tivesse te conhecido – se não fosse pelos sentimentos e lembranças que agora carrego em mim. Por que pra todo mundo é simples e fácil ir embora? Por que sempre sou eu a pessoa a ficar com os planos, sonhos, sentimentos e memórias?

Mexo no meu caderno de anotações do trabalho e, desastradamente, deixo-o cair. Enquanto recolho os papéis espalhados pelo chão, encontro as anotações de horários de ônibus para poder te ver. Instantaneamente, meu coração aperta.

Eu tenho uma maneira bem estranha de pensar, sabia? Sempre que me deparo com situações as quais são adiadas, mas que eu queria viver elas inteiras HOJE, eu falo comigo mesma, querendo que você ouvisse: “eu poderia morrer amanhã, sabe?”. Não de uma maneira mórbida, como se eu fosse me matar… Mas simplesmente por saber que a vida é frágil demais para ser adiada. O amor e todos os sentimentos atrelados a ele foram feitos para consumar imediatamente, não no próximo mês.

Durante as conversas com as pessoas próximas de mim, começo a achar que logo as cansarei por desabafar sobre você. Mas é inevitável: se eu não posso falar com você, é sobre você que eu estarei falando e pensando.

Uma amiga, que tem sido uma baita de uma amiga mesmo para passar essa fase nada fácil, me manda um site de presentes criativos… Em tudo que eu olho, vejo você. Tenho vontade de comprar o mundo inteiro de fofuras pra você, de modo que você sinta ao menos 1% do amor e da falta que faz nos meus dias.

A manhã vai passando e às 09h51, exatamente, eu olho pro calendário e vejo que, hoje, seriam 2 meses desde que voltei àquele bar para conhecer teu cheiro, teu abraço e teu beijo. Há exatamente 2 meses eu estava deixando pra trás todas minhas desilusões e pulando nesse barco para remar com você em direção à nossa felicidade. No minuto em que percebo o dia de hoje, é o minuto em que entendo o porquê de ter sido tão difícil sair da cama e encarar a realidade.

Entre um afazer e outro, acabo vendo um vídeo de um casamento em uma praça na Vila Madalena, em São Paulo. Eles fizeram o casamento em um formato de carnaval, sabe? Foi tudo tão lindo e simples. Ultimamente, qualquer cena de amor me desequilibra – não é inveja nem tampouco felicidade, é apenas a esperança de poder ter isso com você.

Vasculhando o site que minha amiga me passou, encontro uma almofada com a frase: “Paciência tem limite! Não aguento esperar tanto pra te ver”. Isso é tão nosso, né? Esperar e contar todos os dias do mês só para poder ir até você.

Em uma impulsividade, decido comprá-la. Acho que é a data que toma conta de mim e me deixa agir assim. Saio na hora do almoço para pagar o boleto e no caminho, que nem é tão longo assim, eu sinto o quanto você roubou não só meu coração, mas também todo meu ar e fôlego.

Essas duas semanas têm sido as mais difíceis. Fazia tempo que eu não me entregava tanto pra alguém, fazia tempo demais que eu não abria as portas do meu coração para que quando saíssem por ela, eu tivesse vontade de jogar as chaves fora. Na agência, todos percebem minha mudança de humor. Uma das mulheres até ousam falar que eu estou apaixonada. Minha vontade é de responder: antes fosse só isso.

tumblr_mcfjedenyS1r1mmbpo1_500

Te vejo online no Facebook e me contenho ao máximo para não trocar palavras contigo. Casualmente vejo suas atividades no Instagram e, de certa forma, isso me acalma. É como se eu pudesse te sentir perto de mim. Saber de você é a melhor coisa diante de tanto silêncio.

Em busca de conteúdo para uma Landing Page de uma Floricultura, encontro algumas características das Orquídeas semelhantes ao amor. Você me transformou inteira e, onde quer que eu olhe, vejo um pouco desse sentimento.

Assim como as Orquídeas precisam da quantidade certa de água para viver, no amor a gente precisa acertar a medida ideal que cada um gosta e precisa de carinho, dedicação e afeto.

Com alguns, cuidar demais pode fazer o que nem começou morrer. Outros, carinho de menos deixa o coração seco e incapaz de pulsar por você. Mas, ao contrário das Orquídeas – que podem morrer mais com o excesso do que com a falta –, o amor precisa do máximo de cuidado, atenção e demonstração para continuar vivo.

Não existem regras, fórmulas ou soluções matemáticas capazes de resolver os mistérios de cada um e mostrar o melhor caminho a ser seguido. A verdade é que só o tempo e a experiência de relacionamentos passados e, inclusive, errados para descobrirmos a dose ideal que precisamos do outro para ser feliz e, da mesma forma, aceitar e oferecer a quantia suficiente para alegrar a vida o outro.

No caminho de volta pra casa eu começo a pensar na parte mais dolorida dessa semana. Hoje eu tiraria a noite para arrumar minhas coisas para poder viajar até você amanhã às 20h. Isso me dói mais do que chutar a mesa com o dedinho do pé.

A minha dor de garganta aumenta e até parece uma forma do meu organismo sabotar meus pensamentos, como se uma dor fosse anular a outra. Sem alternativas, tenho que tomar antibiótico por uma semana. Minha mãe insiste para que eu tome vitamina quando acabar os medicamentos e meu desejo é avisá-la que não adiantará, pois meu problema não é físico, é emocional. É o excesso de sentimentos parados na garganta e que agora não poderão mais ser ditos.

Saio comer um lanche com a minha mãe e ela me avisa que irá para a praia no fim de semana. Ela me convida, inclusive. Mas meu humor não está para socializar e minha garganta não aguenta mais dizer o que não sinto realmente. Recuso e prefiro ficar no meu quarto onde minha realidade é dolorida, mas é sincera.

Ao entrar no carro, a rádio começa a tocar Magic. Parece que o mundo não quer que eu te esqueça também, né? A Lua Cheia na janela, Coldplay nas caixas de som e meu pensamento em você.

Quando estou em casa, eu só consigo colocar uma música para tocar: Lost Stars. Você transformou ela em nossa música e nem sabe. Você mudou um dos meus filmes preferidos e nem suspeita disso. Enquanto a música toca como trilha sonora dos meus pensamentos e lembranças tua, me seguro para não curtir todas as suas fotos no Facebook e me achar uma louca de verdade.

Penso comigo: melhor eu dormir.

Carla Oliveira

Carla Oliveira Jornalista por formação, apaixonada pelos encantamentos diários por destino. Há 23 anos tenta escapar dos sentimentos, mas sem eles fica sem sentido. O cheiro que mais gosta é aquele teu que gruda na pele dela. Ah: canceriana, intensa, extremista e chata.

Permita que a tristeza te faça feliz

Sabe por que a tristeza é triste? Por causa de você – e de mim, também. Nós fugimos tanto dela, a transformamos tanto nesse monstro desprezível e errado de sentir dentro do coração que de maneira alguma ela poderia ser diferente.

Já a alegria não, ela é sempre exposta, gritada e declarada em cada foto no Instagram ou em cada status atualizado no Facebook. Vai ver é por isso também que nós ainda nos irritamos tanto com a felicidade alheia, né? Mas por que cargas d’água definiram um sentimento como bom e outro não? Cada um tem o seu papel dentro de nós e cada papel é essencial para sermos quem somos.

Desde criança, os meninos são instruídos a “engolirem o choro” porque isso é coisa de menina. E nós, mulheres, quando desaguamos pelos olhos logo ouvimos “está de TPM?” ou “para de mulherzice”. Mas, oras, quem foi que inventou que aceitar e demonstrar a tristeza é errado?

Da mesma maneira que a felicidade nos proporciona lembranças de ouro – a primeira vez que você sentiu um frio na barriga por alguém, ou a primeira vez que você viu um show da banda da sua vida, ou, então, aquele sábado à noite em que você não ia sair de casa e, em um piscar de olhos, se transformou no melhor dia da sua vida – e que carregaremos eternamente, a tristeza também é quem nos leva a sentir a felicidade mais intensamente e a fortalecer cada pedaço de quem realmente somos.

tumblr_mzo1xkjn451tp5hx8o1_500
Ou vai me dizer que os meses de luto após o término de um namoro que você costumava considerar como o amor da sua vida, ou a cada vez que a vida te derrubou só pra te deixar mais forte e mostrar que, talvez, outro caminho foi feito pra você, não te trouxe ensinamentos mais valiosos do que aqueles que aprendemos enquanto sorrimos?

É lindo ser feliz e não carregar um sentimento de que falta algo na sua vida, mas é mais lindo ainda você se aceitar tanto, aceitar todos os seus sentimentos, a ponto de molhar o seu travesseiro à noite e mostrar ao mundo seus olhos inchados de uma noite mal dormida.

Então o meu conselho para todos aqueles que fogem diariamente das batalhas travadas com as suas infelicidades interiores é uma só: aceite, deixe os olhos transbordarem até inundar o seu coração e, acredite, serão esses dias escuros e cinzas que farão você chegar aos pores-do-Sol alaranjados em frente ao mar.

Sabe por quê? Porque um sentimento só vai embora depois de transbordar. Enquanto você engolir o choro e acreditar que você tem que ser feliz todos os dias da sua vida, você vai ser tudo, menos feliz.

Carla Oliveira

Carla Oliveira Jornalista por formação, apaixonada pelos encantamentos diários por destino. Há 23 anos tenta escapar dos sentimentos, mas sem eles fica sem sentido. O cheiro que mais gosta é aquele teu que gruda na pele dela. Ah: canceriana, intensa, extremista e chata.