Cuidado com a falsa felicidade

Penso que, na vida, a felicidade pode se apresentar das mais variadas maneiras. Desde as coisas mais simples até os maiores acontecimentos. Mas a felicidade é um produto caro, legítimo e único de sua espécie. E como raridade, muitas vezes acabamos comprando gato por lebre e levamos para casa a ilusão de “ser feliz”.

A verdade é que ninguém É feliz. E isso não é um poema parnasiano. Não pense em se matar agora porque eu te disse que ninguém É feliz. Isso já é um conceito batido. Todos sabemos que nós ESTAMOS felizes, como nós podemos ESTAR tristes ou cansados.

A felicidade, em si, é um conceito temporário e mensurável. Uma pessoa pode ter momentos felizes, muitos momentos felizes ou apenas a ilusão de que está feliz, pois, naquele momento, ela esquece de parte de seus problemas.

felicidade_eterna_1

Na verdade, a felicidade pode ser entendida como um estado de espírito elevado, uma sensação de plena paz espiritual que nada parece atrapalhar. Entretanto, a felicidade pode ser confundida, facilmente, com a ilusão da felicidade.

O conceito é simples: a pessoa sente-se feliz não por estar experimentando a paz de espírito, mas sim menos triste por esquecer dos problemas, por estar, temporariamente, preenchendo o inóspito espaço que existe dentro dela. Seja com drogas, álcool ou outros vícios que, em geral, não contribuem para o desenvolvimento do ser e o crescimento da consciência.

A ilusão da felicidade é barata, pode ser encontrada em qualquer esquina, em qualquer balada, em qualquer forma de fugir daquilo que se espera de sua própria vida. Veja, a falsa felicidade é tão perigosa, mas tão perigosa, que funciona como um atoleiro. As pessoas se afundam cada vez mais nela. Cada vez mais baladas, cada vez mais bebidas e cada vez menos paz de espírito.

Há uma desconstrução do ser. Ao passo que se avança rumo às ilusões, a tristeza aumenta, a ausência aumenta, a falta aumenta e tudo se torna cada vez mais escuro e solitário.

Fugir dos problemas, acreditar no efêmero, escapar… Esses não são remédios e não são a cura que a alma precisa. Antes de tudo, precisamos aceitar o que se passa em nossa vida, entender os motivos, aprender as lições. Agradecer.

Você merece a felicidade verdadeira. Mas fica difícil encontrá-la quando você escolhe viver na mentira.

Leonardo Lino

Leonardo Lino 24 anos, publicitário, trabalha com Marketing Imobiliário e é um apaixonado por economia, política e filosofia. É um inimigo declarado do estado. Um monarquista pragmático. Tem como inspiração Ayn Rand e Ludwig von Mises. Gosta de falar abobrinhas, bobagens e jamais vai te levar a sério. Está aprendendo a escrever, desculpem os maus modos.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s