Especial dia dos namorados: Um Eu COM Você

O Blog Um Eu Sem Você resolveu fazer algo especial no dia dos namorados. Já que falamos (e até demais) sobre desamores e como sobreviver a eles, hoje estamos estrelando o Um Eu Com Você.

Nós, os escritores desse blog, vamos contar nossa experiência ou percepção de como o dia dos namorados nos afeta. E sabe o melhor? Você também vai poder participar juntinho com a gente contando sua experiência amorosa (ou não, rs).

Comente na nossa publicação do Facebook sobre o especial “Um Eu Com Você” e as três melhores experiências serão postadas aqui, bacana, né?

Umeucomvoce


Eu sou a mais nova dos escritores aqui do blog e sou a única que já passou o dia dos namorados namorando. Na verdade, eu nunca fui muito fã desse dia e achava que era mais um dia que meu facebook ficava um tédio. Mas, ano passado, eu realmente entendi essa data.

Primeiro, eu fiz de tudo para “estragar” esse dia, mesmo porque, até então, eu odiava. Mas eu tive sorte, a pessoa que eu namorava insistiu em mim e passou algumas horas fazendo (o que foi o melhor presente que já recebi) um pôster com propagandas vintage da coca cola.

Eu nunca tinha ganhado algo tão “minha cara”. Fiquei sem reação, com o olhar perdido naquele presente. Foi então que os versos de Vinícius de Morais encerraram a noite com um livro dos seus melhores poemas, com frases e versos grifados que, juntos, formavam uma declaração.

Naquele momento, eu entendi o sentindo dessa data, entendi que alguém no meio de tanta gente no mundo “perdeu” seu tempo para chegar até mim e me ver sorrindo. Certamente o dia dos namorados foi feito para demonstrar o afeto e o carinho que o amor traz em nossas vidas, mas naquele dia, depois de anos desafiando as teorias da vida, eu pude compreender o quanto eu estava feliz.

E ah, esse ano o Facebook voltou a ser um tédio. (Jamile Ferraz)


Se eu dissesse que nunca “comemorei” o dia dos namorados, estaria mentindo. Mas foi uma única vez, com uma pessoa a qual, hoje, eu posso ver que não agregou nada de bom em mim… Então, a meu ver, falar sobre esse dia torna-se nulo, mesmo que na época tivesse sido tudo lindo e maravilhoso. Portanto, deixo aqui minha visão sobre esse dia.

Similar a muitas coisas na minha vida, o dia dos namorados é uma contradição dentro de mim. Ao mesmo tempo em que acredito ser legal ter um dia no ano em que todos se sentem “obrigados” a exalar amor, também acredito que esse dia nada mais é do que uma jogada de marketing muito boa para aumentar as vendas no mês de junho (até porque em outros países a data é comemorada em fevereiro. Mas imagina que louco ter em um mesmo mês o carnaval e o dia dos namorados, né?).

Não tenho problemas com as milhares de postagens amorosas, nem com as das pessoas que dizem que o dia é dos namorados mas a noite é dos solteiros. Acredito que o importante mesmo é só se comprometer a estar com alguém no momento em que você estiver plenamente comprometido consigo mesmo, e esse outro alguém não te traga nada além de mais felicidades. (Carla Oliveira)


Falar de dia dos namorados quando, mesmo tendo 24 anos, você nunca namorou, não parece ser tarefa fácil. Mas é.

As pessoas sempre me perguntaram como eu nunca namorei, “por que?”, “como assim?”, “você não fica carente?”… E as minhas respostas sempre foram: não sei. Assim. E é claro que fico carente, mas racionalmente falando, é impossível você sentir falta de algo que você nunca teve. Se eu nunca namorei, não sei como é namorar.

E talvez porque eu acredite que essas coisas simplesmente acontecem na hora e no tempo certo, com a pessoa certa, quando não é pra ser, não adianta insistir. O universo dá um jeito de levar a pessoa embora da sua vida. E aí você come aquele chocolate meio amargo, assiste mais um episódio de Game of Thrones e vai pro bar com seus amigos “convictamente solteiros”, deixa o tempo passar e logo o coração se esquece.

O fato é que eu sou um romântico incompreendido. Primeiro porque eu ainda não me compreendi. Não me entendi, não vivi diversas situações amorosas que muita gente na minha idade já viveu. E isso fez de mim mais forte. Fez de mim autônomo. Fez de mim inteiro. Hoje a verdade é: eu não preciso de alguém. Eu já sou completo mesmo sozinho. E é completo desta maneira que todos deveriam ser ao se relacionar. O amor transborda, não preenche. O que te preenche são seus hobbies, suas paixões, seu trabalho… O amor é aquela coisa que você pode viver perfeitamente sem, diferente de comida e dinheiro, mas que quando existe torna tudo o que você conhece mais doce e alegre.

Hoje eu não sei se estou pronto para namorar. De fato, não sei de muitas coisas. Mas o que eu sei é que o que tiver de ser meu, será. E eu serei inteiro dele. Não irei pelas metades, não irei faltando, não irei precisando. Irei transbordando. E quem sabe, flor, quando você menos esperar, o amor acontece. E vai acontecendo, e você vai ganhando amigos, confiança, a pessoa (até a família, hehe :P)…

Quando você menos esperar, você está transbordando. E duas almas se juntam. Os corpos se atraem todos os dias. E os pensamentos e palavras ficam mais doces. Quem sabe, quando você menos esperar, o amor é tudo aquilo que você imaginou um dia que seria(Leonardo Lino)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s